Carregando...

III Simpósio de Pesquisa Científica e Tecnologia de Rondônia promove integração e estimulo ao conhecimento científico e tecnológico

Início Notícia

De 24 a 26 de abril o Grupo Educacional São Lucas realizou o III Simpósio de Pesquisa Científica e Tecnologia de Rondônia no Auditório do Campus II. O evento organizado pela Secretaria de Pesquisa da Instituição por meio do Professor Dr Andreimar Martins e a Diretora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, a Professora Dra. Viviane Castro contou com participação de alunos, pesquisadores e professores de dentro e fora da Insituição.

O objetivo do evento foi promover integração entre temáticas e o estimulo ao conhecimento científico e tecnológico nas áreas relacionadas de Ciências Agrárias, Ciências Biológicas, Ciências Humanas, Ciências da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas e Engenharias.

Durante a ação houve a apresentação resultados obtidos nos programas de Iniciação Científica e Pós-Graduação por meio da apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos acadêmicos, com o intuito de aumentar o intercâmbio de informações entre pesquisadores e estudantes de dentro e fora da Instituição.

A atividade contou a participação de estudantes de graduação e de pós-graduação, profissionais, pesquisadores e professores de instituições de ensino superior (IES) e Ciência e Tecnologia (ICTs), públicas e privadas, nas áreas de Ciências Biológicas, Ciências da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Engenharias, Arquitetura e Ciências Agrárias.

Além do diferencial na abordagem das temáticas voltadas para as áreas de Saúde (Epidemiologia, Diagnóstico e Terapêutica), Biológicas (Meio Ambiente e Biotecnologia), Ciências Sociais aplicadas (Administração e Direito), Engenharias e Arquitetura, o Simpósio contou a participação de renomados pesquisadores nas mais diversas áreas de atuação e trabalhos com repercussão nacional e internacional.

Entre os palestrantes, a Dra. Carolina Martins dos Santos Chagasda Universidade de Brasília (UnB), Doutora em Nutrição Humana com experiência na área de Saúde Pública, apresentou o Jogo Rango Cards, jogo educativo premiado como melhor Serious Game no Festival SBGames 2017, desenvolvido como objeto de pesquisa para o seu Doutorado em Nutrição. O jogo visa ampliar o conhecimento dos adolescentes sobre o conceito de alimentação adequada e saudável, de acordo com a pesquisa realizada pela Doutora.

“A alimentação é de grande impacto para várias das doenças apresentadas aqui. O desenvolvimento de um jogo voltado para promoção da alimentação adequada e saudável, independente se o indivíduo já possui hábitos saudáveis ou não, ele pode potencializar práticas melhores para a saúde com diferentes variáveis relacionadas ao conhecimento, relacionadas à segurança em conseguir mudar sua realidade. Estou muito grata em fazer parte deste evento”, declarou Dra. Carolina.

A atividade proporcionou aos alunos participantes das atividades voltadas para Pesquisa e Extensão, a apresentação de seus trabalhos e projetos durante o evento, bem como promoveu o intercâmbio de alunos entre as unidades do Grupo São Lucas Educacional. Muitos alunos, pesquisadores e professoras da Unidade II do São Lucas em Ji-Paraná, compareceram aos 3 dias de evento.

Um dos trabalhos desenvolvidos pelos estudantes de Ji-paraná para ser avaliado, trouxe a problemática do crescente número de indivíduos com diabete mellitos e o desenvolvimento da condição de pé diabético nestes pacientes.

Os alunos Hélio Zanini, Felipe Lima e Ana Carolina Camata do curso de enfermagem, mostraram quais os riscos e as orientações para os cuidados com a diabetes e o alerta para comunidade através do estudo.

“O estudo é bem relevante, pois traz embasamento científico focado em dados para que enfermagem possa aprimorar os cuidados com essa paciente e provar como o pé diabético acomete estes indivíduos. Segundo as diretrizes de endocrinologia, os pacientes acometidos de diabete Mellitus, sendo 1 em cada 4 pacientes pode desenvolver a condição. Esses dados são irregulares, devido aos fatores de risco e índices socioeconômicos”, ressaltou Hélio Zanini.

Outro trabalho apresentado teve foco nas comunidades e foi voltado para atitudes sustentáveis, A aluna Maria Eulália da Silva Araújo do 7º período de Ciências Biológicas São Lucas apresentou o tema; Educação ambiental como extensão universitária e sua importância no universo acadêmico.

O trabalho foi desenvolvido durante 3 meses em conjunto com Sala Verde, coordenação do São Lucas voltada para o desenvolvimento de diversas atividades como ações comunitárias, projetos solidários e sustentáveis, sala verde com foco principal nas comunidades carentes, além de projetos internacionais como a hora do Planeta por exemplo.

O trabalho abordou o desenvolvimento de práticas sustentáveis em comunidades de classe média, focados em crianças de 07 a 11 anos de idade por meio de oficinas educativas  abordando temas como consumo consciente da água, energia, dos resíduos sólidos, separação do lixo seco e orgânico e o mutirão de limpeza. O modelo didático adotado foi de modo que as crianças ensinassem aos pais sobre os hábitos sustentáveis e conscientes, tornando-os multiplicadores de ideias de forma lúdica com intuito de aprimorar o desenvolvimento delas.

“A importância do trabalho está na transformação de crianças em adultos mais conscientes e sustentáveis. Pudemos ver o quanto os pequenos passaram a se preocupar com as questões do meio ambiente. Realizamos um mutirão de limpeza no condomínio e com o lixo coletado das calçadas e casas, eles puderam fabricar brinquedos ecológicos”, destacou a aluna.

“Acreditamos que após a apresentação no simpósio estes modelos de trabalhos sustentáveis possam se perpetuar em várias comunidades, bairros, além da construção de consciência uma maior ecológica”.

Para o Professor Dr. Andreimar Martins,trabalhos com o dos alunos de Ji-paraná ou mesmo o da estudante Maria Eulália em atividades como a do Simpósio, permitem uma importante integração e intercâmbio entre profissionais e instituições de diferentes locais possibilitando uma maior consolidação da pesquisa científica e tecnológica na Amazônia Ocidental.

Vamos Conversar?