Carregando...

São Lucas realiza ações no Setembro Amarelo

Início Notícia
Publicado em: 03/10/2019

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Falar de saúde mental sempre foi essencial porque, mais do que uma causa importante, o tema é também uma questão extremamente pessoal. Conviver com um transtorno psicológico exige demais – não só da pessoa que o tem, mas de quem convive com ela. Exige clareza para entender e aceitar os problemas, para tratá-los. Exige força, empatia e sensibilidade para perceber que nem sempre as coisas serão fáceis, mas que essas pessoas não caminham sozinhas.

Observando este cenário, os alunos de Enfermagem juntamente com os professores do curso, realizaram no dia 04 de setembro, uma ação com todas as pessoas que estavam presentes no Centro Universitário São Lucas Ji-Paraná entregando laços amarelos, panfletos, adesivos e orientações sobre a campanha como forma de conscientização. Já nos dias 24 e 25 houveram palestras que foram ministradas por uma equipe multiprofissional composta por: psicólogos, pedagogos, médico psiquiatra e enfermeiros, sobre depressão e outros transtornos psicológicos, com foco no fortalecimento da rede de apoio, como identificar os sinais disparados por alguém que está pensando em suicídio e como ajudar, além do enfoque de promoção à saúde mental dos professores e alunos.

“Apesar do suicídio ser visto como uma questão complexa, a principal forma de evitar é através da colaboração de toda sociedade, através de esforços que devem ser abrangentes e integrados, afim de prevenir que o indivíduo efetive o suicídio. Dentre esses esforços é de suma importância que ações como essas propostas atinjam o maior público possível, principalmente nas universidades, que temos um número alto de adolescentes e jovens, e que seja efetiva não somete no mês de setembro”, ressalta a professora extensionista do curso de enfermagem, Fabiana Nink.

Fabiana ainda complementa que “O objetivo é envolver a população em geral, universidades, setor público e privado por ser um assunto de extrema relevância. É delicado falar sobre perdas, índices que vêm aumentando, acometendo pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais, mas conversar sobre o tema e fortalecer a rede de apoio que somos todos nós que estamos continuamente lidando com anseios e sentimentos de indivíduos diferentes é que nos faz entender que precisamos prestar mais atenção em quem está em nosso meio familiar e social”.

Lembramos temos à disposição o Núcleo de Apoio Psicológico e Psicopedagógico – NAPP, localizado no bloco A – térreo. Você não está sozinho e estamos sempre prontos para te ouvir!

Vamos Conversar?