Centro Universitário São Lucas

PRE_TITLE_DEFAULT - TITLE_DEFAULT

NOTÍCIA

FALE CONOSCO: (69) 3211-8001

Acadêmicos do UniSL participaram de mutirão contra o mosquito Aedes

Publicada em 29/03/2017 por Assessoria de Imprensa

O Aedes sempre causou uma grande dor de cabeça à população. Garrafas, vasos de planta, piscina e até uma poça de água. Não importa. Onde houver água parada, lá ele pode estar. Transmissor da dengue, o mosquito agora também pode transmitir a Zika e a febre Chikungunya. Foi para prevenir a população do bairro Areal, onde o Centro Universitário São Lucas localiza-se, que seus acadêmicos vistoriaram no dia 25/03, com a permissão dos moradores, as casas para detectar possíveis criadores do Aedes, além de orientar a população sobre a importância de combater os focos do mosquito.

 

Cada grupo consistia de três a quatro estudantes que já nas residências iniciavam uma completa varredura em busca de qualquer recipiente ou local que pudessem acumular água. Quando detectado, o morador era chamado e recebia orientações de como armazenar os recipientes corretamente, cobrir as caixas d’agua, manter o quintal limpo e sempre ficar atento sobre os locais que pudessem armazenar água da chuva. Contudo, os estudantes também se depararam com iniciativas de combate ao mosquito e sempre ouviam o desejo dos moradores de que seus vizinhos também agissem de igual forma, demonstrando que é necessário que todos estejam empenhados nessa guerra.

 

Alguns grupos foram acompanhados por emissoras de TV da capital, parceiras do UniSL, que realizaram transmissão ao vivo da ação dos acadêmicos e onde os moradores também tiveram a oportunidade de agradecer o serviço prestado pela IES, bem como, relatar as más experiências que o mosquito já causou, aconselhando, assim, ao telespectador que ações simples do dia-a-dia, como uma vistoria no quintal, pode ser de extrema importância para a prevenção das doenças transmitidas pelo Aedes.

 

Rodrigo Rodrigues Cavalcante, acadêmico de Ciências Contábeis considerou o evento um momento de união dos acadêmicos. “O mutirão alcançou o objetivo que propôs que era de integrar os calouros com os veteranos e ao UNISL também deixando claro a sua preocupação com a comunidade fazendo um bom trabalho social onde todos tem benefício no proveito dessa boa simbiose entre as partes envolvidas no Trote solidário.”, apontou.

 

Já para Geovani Cota, acadêmico do curso de Biomedicina o evento foi de grande importância tanto para os acadêmicos quanto para a população.  “Como acadêmico do curso de biomedicina, pude repassar as teorias adquiridas na graduação sobre o desenvolvimento do vírus e sua patogenia, assim como orientar os moradores do bairro Areal onde está inserida o Centro Universitário São Lucas, sobre os principais métodos de profilaxia, como o uso de repelentes, telagem de janelas e portas, manter o quintal limpo evitando o acúmulo de água parada. Dessa forma pude contribuir na eliminação de possíveis focos do mosquito para que ele não nascesse, evitando que o Aedes transmita o vírus causador dá Dengue, Chikungunha e Zika.”, concluiu.

 

“Nosso objetivo foi plenamente atingido”. Foi com esta afirmação que a coordenadora de extensão do Unisl avaliou a 2ª edição do Mutirão contra o mosquito Aedes no bairro Areal. “Em termos de resultados, o mutirão cresceu enormemente. E tende a crescer mais, pois nesta edição ocorreu maior interação entre os acadêmicos calouros e os veteranos. Superou muito a nossa expectativa. Aproveitamos o evento para intensificar a campanha contra o mosquito Aedes que não pode parar. A repercussão nesse sentido foi muito positiva também.”, finalizou a coordenadora.

Copyright © 2017 | Faculdade São Lucas